Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

POR QUE A IGREJA CANTA? – Parte 3



Por que cantamos?
Crentes cantam nas igrejas porque Cristo nos mandou cantar.

“Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seus corações.Cl. 3.16

“...falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor,...” Ef. 5.19

E nós somos ordenados a cantar, como ouvi o ministro de música Bob Kauflin observar, porque Deus quer que criaturas criadas à sua imagem façam o mesmo que ele.

“O Senhor, o seu Deus, está em seu meio, poderoso para salvar. Ele se regozijará em você, com o seu amor a renovará, ele se regozijará em você com brados de alegria.Sf. 3.17

“Ele diz: ‘Proclamarei o teu nome a meus irmãos; na assembleia te louvarei’." Hb. 2.12

Contudo, deixe-me explicar melhor o que eu disse até agora articulando três razões pelas quais eu acho que Deus ordenaria ao seu povo que falassem um com o outro não apenas em prosa, mas em poesia e melodia.

Nós cantamos para possuir e declarar a Palavra
O ato de cantar é como a congregação possuir e declarar a Palavra pelo que ela é. Na Bíblia, cantar é uma maneira ordenada por Deus para os membros de uma congregação responderem à revelação de Deus. É como eles levantam a mão e dizem: “Sim, eu creio e afirmo essas verdades com todo o meu ser”. Por exemplo, o salmista manda que o povo de Deus proclame a Palavra de Deus a outros:

“Cantai ao SENHOR, bendizei o seu nome; proclamai a sua salvação, dia após dia.” Sl. 96.2

Cantar a respeito da salvação de Deus significa que nós assumimos essa mensagem como nossa.

Nós cantamos para unir as nossas emoções à Palavra de Deus
Cantar é a maneira como a congregação particularmente une as suas emoções e afetos com a Palavra de Deus. Quando cantamos, é difícil ficar livre de emoções. Assim como o sentido do olfato pode evocar fortes associações e memórias, da mesma maneira o som da música tanto evoca quanto provoca as alegrias, tristezas, desejos, esperanças e sofrimentos do coração. Jonathan Edwards propôs que Deus nos deu a música “somente para incitar e expressar afeições religiosas”. O salmista parece encarnar essa ideia quando escreve: “De boas palavras transborda o meu coração” (Sl. 45.1).
Cantar, eu diria, é o meio pelo qual o povo de Deus se apropria da Sua Palavra e alinha suas emoções e afeições com as emoções e afeições de Deus.
Assim, não é surpresa que Paulo ordenaria que igrejas cantassem os salmos, e que o saltério fosse considerado o hinário da igreja. João Calvino chamou os salmos de “Uma Anatomia de Todas as Partes da Alma”, visto que ele oferece aos leitores palavras que eles podem colocar em suas próprias bocas para expressar toda a plenitude das emoções humanas. No prefácio de seu comentário em Salmos, Calvino escreve: “pois não há sequer uma emoção da qual alguém porventura tenha participado que não esteja aí representada como num espelho. Ou, melhor, o Espírito Santo, aqui, extirpa da vida todas as tristezas, as dores, os temores, as dúvidas, as expectativas, as preocupações, as perplexidades, enfim, todas as emoções perturbadoras com as quais a mente humana se agita”. Como podem os cristãos expressar o sofrimento de uma maneira piedosa? Ou tristeza, medo, dúvida? Eles ecoam os salmos, como Jesus fez diversas vezes.
Ainda assim, mesmo se as igrejas não tirem suas letras diretamente do saltério, elas devem considerar o equilíbrio dos salmos entre confissão, lamentação, exaltação e ação de graças, e buscar imitar algo semelhante em sua própria composição de hinos. Nós sabemos como lamentar em nossas igrejas através da música? E confessar?
Nas turmas de seminários, os futuros pregadores às vezes são advertidos: “A congregação terá tanto cuidado com a Palavra quanto você tem no púlpito”. O mesmo acontece, estou convencido, com o nosso canto na igreja e a nossa habilidade de encontrar Deus emocionalmente durante a semana. Uma congregação que aprende a cantar na igreja com confissão robusta e louvor contrito, sabe como cantar melhor a Deus com seus corações em casa, quer façam com melodia ou não.

Pense nisso!

Continua na próxima postagem.
Fique ligado(a)!

Visite minha página no Facebook: Raquel Roque. E conheça meus blogs:
www.bonnevievie.blogspot.com.br
www.prospera-te.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário