Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

NESTE NATAL, SEJA LUZ!


Há muitos instrumentos de luz. Os antigos usavam a candeia, alimentada com óleo e que produzia luz bem fraca. Ainda hoje se usam, onde não há luz elétrica, lamparinas de querosene, também com luz baça, bruxuleante. Há, ainda, as velas, já com luz mais agradável, mas também fraca e desigual. Vieram depois o gás e afinal a luz elétrica e a fluorescente.
Cada instrumento produz e apresenta sua luz, de acordo com sua capacidade. A vela não deve envergonhar-se diante de uma forte lâmpada elétrica, por não poder iluminar com a mesma intensidade que ela. Não deve, também, a candeia esconder-se de um lampião a querosene ou a gasolina, por ser mais humilde. Cada qual, fazendo sua parte fielmente, cumpre seu dever.
Porque não sei pregar como um conferencista experiente, devo deixar de dar a alguém um folheto, ou ministrar um estudo bíblico a uma alma sedenta?
Porque não sou médico, devo deixar de indicar a um doente um chá saudável ou um tratamento simples?
Devo deixar de orar pelos amigos descrentes, ou de fazer uma visita a pessoa doente física ou espiritualmente, ou de escrever uma carta missionária a uma alma aflita?
Porque não sou farol, me recusarei a ser lampião? Porque não sou vela colorida, de árvore de natal, ou aristocrática vela a enfeitar um piano de cauda ou fina cristaleira, deveria deixar de ser humilde vela comum a iluminar um quarto de viúva pobre com um filhinho doente?
Ah, como é séria, como é real a nossa responsabilidade!
Disse Spurgeon: "Eu não dou muito por sua religião a menos que possa ser vista. Os lampiões não falam; mas brilham. Um farol não rufa tambor, não faz soar o gongo; no entanto, muito longe através das águas, seu facho de luz é visto pelo marinheiro. Assim, brilhem suas ações mais do que sua religião. Seja o principal sermão de sua vida ilustrado por toda a sua conduta, e não deixará de ser ilustre."

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.Mateus 5.16

 

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça meus blogs e minhas páginas no Facebook. Endereços:
ღ LEIA A BÍBLIA! ღ


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

PROPÓSITOS DE DEUS PARA O NATAL


Por que o nascimento de uma criança no oriente médio, há mais de 2000 anos atrás, é ainda hoje tão importante e significativo? Por que se tornou um feriado mundial? O que faz o Natal tão especial? O nascimento de Jesus Cristo é o mais significativo evento em toda a história da humanidade, tanto que divide a história entre antes e depois de Cristo (a.C e d.C).
A festa de Natal, como é comemorada hoje não foi uma ideia de Deus. O que Ele planejou foi a vinda de Jesus ao mundo para salvar a humanidade. Este foi o motivo do primeiro Natal, mas parece estar bem distante do que vemos hoje.
Na noite em que Jesus nasceu, Deus enviou um anjo para anunciar Sua chegada. Neste anúncio descobrimos alguns propósitos de Deus para o Natal:
“Havia pastores que estavam nos campos próximos e durante a noite tomavam conta dos seus rebanhos. E aconteceu que um anjo do Senhor apareceu-lhes e a glória do Senhor resplandeceu ao redor deles; e ficaram aterrorizados. Mas o anjo lhes disse: Não tenham medo. Estou lhes trazendo boas novas de grande alegria, que são para todo o povo: Hoje, na cidade de Davi, lhes nasceu o Salvador, que é Cristo o Senhor. Isto lhes servirá de sinal: encontrarão o bebê envolto em panos e deitado numa manjedoura. De repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo: Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor.” (Lucas 2.8-14)
O anjo disse: “de grande alegria para todo o povo”. Vemos aqui o primeiro propósito do natal - ser um tempo de celebração. E o que celebramos? Celebramos porque Deus diz que nos ama - “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16). No Natal Deus nos diz: “Eu te amo!”. E o amor de Deus não está baseado no que você faz, mas em Seu caráter, isto é, naquilo que Ele é. Ele te ama no seu dia bom, no seu dia mau, quando você acha que merece ser amado, e quando você tem certeza que não merece ser amado,...
O segundo propósito do natal é: Deus está conosco. Ele não está ausente ou distante, mas está com você e comigo. A Bíblia diz: “Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura também lá estás. Se eu subir com as asas da alvorada e morar na extremidade do mar, mesmo ali a tua mão direita me guiará e me susterá.” (Salmo 139.7-10)
No anúncio do Natal, o anjo disse um dos nomes de Jesus – “Emanuel”, que significa “Deus conosco” (Mateus 1.23).
Há uma promessa de Deus para nós em Hebreus 13.5: “Nunca te deixarei, nunca o abandonarei.”
Você pode ter sido abandonado por sua família ou amigos, o que é muito triste, mas Deus diz que nunca vai lhe abandonar. E, se você se sentir sozinho neste Natal, só precisa se conectar a Jesus pela fé e entrar num relacionamento pessoal com Ele. Ele sempre esteve e sempre estará com você, mas você também precisa estar com Ele.
A Bíblia diz: “Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que esse fosse salvo por meio dele” (João 3.17)
Muitas pessoas têm medo de Deus, ficam nervosos quando alguém fala de Deus, porque têm medo Dele. Sabe por quê? Por causa da culpa. É a culpa que nos separa de Deus. Mas a também Bíblia diz que Jesus não veio para condenar, mas salvar. Esta é a boa notícia do Natal: Deus nos ama, Ele está conosco e está a nosso favor. Não precisamos ter medo e podemos nos aproximar Dele através de Jesus.
Por isso o anjo disse aos pastores: “não tenham medo”. Deus está nos enviando uma mensagem: “Você não precisa ter medo de Mim. Fique em paz, porque Eu desejo lhe conceder o Meu favor.”
Não importa quem você seja, de onde você veio ou o que você tem feito com sua vida. As Boas Novas de grande alegria são para você e para todos os homens. Por isso, o Natal é mesmo um tempo de celebração.
Então, neste Natal, faça uma celebração diante de Deus, compartilhe com todos que Jesus veio ao mundo. Tome coragem, peça a palavra na noite de Natal e compartilhe um resumo do que aprendeu aqui ou em sua Bíblia. Traga para o seu lar o verdadeiro propósito do Natal. Vai ser tremendo! Todos ficarão cheios de alegria e começarão a buscar mais a Deus.

Que tal ser VOCÊ o mensageiro de Deus neste Natal?

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça meus blogs e minhas páginas no Facebook. Endereços:
ღ LEIA A BÍBLIA! ღ

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

ALIMENTO SAUDÁVEL

 

“Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.” Mateus 4.4

                                                                                  Uma alimentação saudável é essencial para a vida humana. Isso vale tanto para o alimento físico, quanto para o alimento emocional e o espiritual.

À semelhança de Deus, o homem também é “três em um”, isto é, ele é constituído de corpo, alma e espírito. E existem alimentos certos para satisfazer estas três áreas de sua vida.

Assim como nos preocupamos com o nosso corpo, é necessário também estarmos atentos aos alimentos que consumimos com nossa alma e espírito, pois muitos deles causam doenças, igualzinho aos alimentos materiais. Por exemplo, quando você ouve coisas desagradáveis, seja de outros ou de sua própria boca, isso lhe faz mal. É alimento azedo, envenenado, que adoece sua mente, sua alma e seu coração. Alimentos tais como: depressão, medo, inveja, soberba, etc., também são doentios e causam indigestão espiritual.

A Bíblia diz: “Pois o ouvido prova as palavras, como o paladar experimenta a comida.” Jó 34.4.

Você pode e deve examinar antes de comer, e rejeitar o que lhe faz mal. E, no caso de você se sentir mal por ingerir palavras amargas, venenosas ou situações indigestas, o melhor remédio é por pra fora. Com o corpo, você vomita e logo sente o alívio. Com a alma e o espírito é diferente. Não vai adiantar vomitar o que está lhe fazendo mal em cima de outrem. Isso só piora a situação. Deus quer que você ponha pra fora através da oração – “Lançando sobre Deus toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós.” I Pedro 5.7. Ele entende você e ouve tudo que você tiver a dizer. Experimente!

Se isso não for suficiente, você também pode recorrer à um terapeuta. Deus não fica triste, mas tem que ser um bom profissional.

Para a saúde emocional e espiritual também é bom evitar os alimentos nocivos oferecidos pelo mundo, tais como: moda, filosofias, prazeres sem limites, etc.. Procure se alimentar com o que Deus lhe oferece, alimentos que trazem saúde, força e vigor para sua alma e seu espírito. São eles: a Palavra de Deus e o próprio Jesus.

A Bíblia diz: “Sustenta-me conforme a Tua Palavra, para que eu viva;...” Salmo 119.116. “Oh! quão doces são as Tuas Palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca.” Salmo 119.103

A Palavra de Deus satisfaz sua alma e espírito e ainda lhe serve de bom remédio.

Jesus disse: “Eu sou o Pão da Vida; aquele que vem a Mim não terá fome; e quem crê em Mim nunca terá sede.” João 6.35. Esse nem se fala!

Que banquete Deus tem preparado para você!

Sirva-se à vontade!

 

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça meus blogs e minhas páginas no Facebook. Endereços:
ღ LEIA A BÍBLIA! ღ


terça-feira, 24 de novembro de 2015

Você é o 7001


“Nas palmas das minhas mãos te tenho gravado...” Isaías 49.16

É incrível essa nossa (in)capacidade de escorregarmos das mãos de Deus.
Num momento, estamos firmes, crédulos, exuberantemente confiantes, quase na galeria dos heróis da fé, e em fração de segundos estamos temerosos, cabreiros, desconfiados, atolados no tédio, escorregando no lamaçal da incredulidade, escondidos na caverna da covardia. Parece que até Deus se assusta com a gente, com esse estado depressivo de ânimo. Quase dá pra ouvir o todo poderoso falando: “O que Fazes aqui Elias?” Veja se não fica mais atual se você trocar o nome Elias pelo seu?
Elias era um grande servo de Deus, ainda assim passou pela fase da desmotivação e da autocomiseração. Depois de uma grande vitória veio a ameaça, e com ela o medo, a depressão e a ilusão de ser o único correto diante de Deus. Aí começou a choradeira, o sentimento de "injustiçado": “Todos se corromperam, alguns apostataram, outros foram mortos, tá difícil segurar a onda. Fiquei eu só!” 
Cada um de nós já passou, está passando ou ainda vai passar por situação semelhante. A boa notícia é que Deus não nos deixa escapar do Seu amor e da missão que Ele nos deu.
Ele disse: “Mas Sião lamenta: ‘Ora, o Senhor me abandonou, o Eterno me desamparou!’ Haverá mãe que possa esquecer seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Contudo, ainda que ela se esquecesse, Eu jamais me esquecerei de ti! Eu te gravei nas palmas das minhas mãos; os teus muros estão sempre diante de mim.” (Isaías 49. 14-16)
Antes de lhe puxar as orelhas, o Senhor lhe alimenta e lhe fortalece. Como a Elias, Ele lhe diz: “Você não é o único que sofre, você não é o único fiel, você não é o único que amo. Aliás, deixa Eu te dar a notícia senhor número 01: Eu tenho outros 7 mil fiéis. Na verdade, você é o 7001. Mesmo assim não abro mão de você! Pare de se lamentar e cumpra o seu ministério.”
Depois de ouvir a doce voz do Senhor, a reação de Elias foi: Partiu, pois, Elias dali, e achou a Eliseu, filho de Safate, ...; e Elias passou por ele, e lançou a sua capa sobre ele.(I Reis 19.19)
E agora, qual será a sua reação?!

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça também...
www.bonnevievie.blogspot.com.br
Minhas páginas no Facebook
Raquel Roque
Raquel Roque II

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O LEGADO DOS NOSSOS PAIS


“Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra.”
Efésios 6.2,3.

Nossos pais escreveram suas histórias, das quais nós somos parte.
Deixaram legados, legados completamente bons, legados parcialmente bons, legados muito ruins, legados inexpressivos.
O que faremos com estes legados? Agora é conosco.
Se os legados não foram suficientemente bons, devemos, sem amargura, reter alguns valores recebidos, mínimos que sejam, e seguir nosso roteiro.
Se os legados foram bons, devemos tomar cuidado para não fazermos julgamentos. As nossas épocas são diferentes, com oportunidades diferentes. Se for o caso, devemos nos perguntar se, nas mesmas condições, faríamos o mesmo ou melhor que eles.
Devemos também honrar a memória dos nossos pais, no caso de já terem partido. Nós fazemos isto quando continuamos o que eles fizeram. Se escreveram livros, podemos reeditá-los e divulgá-los. Se deixaram uma organização, podemos mantê-la, mesmo que adaptando as ações para os nossos dias. Podemos honrá-los ainda dando seus nomes a projetos que nós desenvolvemos. A memória está no nome.
Nós honramos nossos pais quando vamos tão longe quanto eles. Pode ser que a tarefa seja muito difícil, tão longe tenham ido; pode ser que as oportunidades não sejam as mesmas. Talvez não consigamos ir tão longe, mas devemos ir bem, com intensidade, mesmo que menos longe.
Podemos desejar ir além dos nossos pais, em uma ou mais áreas. Não se trata de comparação, mas de inspiração. É um bom programa para os filhos estudarem mais que seus pais, terem mais bens que seus pais, doarem mais que seus pais, serem mais afetuosos que seus pais. Os filhos devem desejar e agir para alargar as fronteiras conquistadas por seus pais. Este desejo deve se desenvolver sempre no interior de princípios morais saudáveis.

(Israel Belo de Azevedo)

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça também...
www.bonnevievie.blogspot.com.br
E a minha página de poesias "Bem Dito"

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SER DOCE É MELHOR DO QUE SER AMARGO



Depois do culto, em que um pastor convidou seus ouvintes à doçura, uma senhora narrou a sua história:
-- Eu era exatamente como o senhor disse: dura, brava, ressentida e crítica, tudo em excesso. O que eu tinha de dizer, eu dizia na hora, sem medir palavras, sem pensar nas consequências. Quem olhava para mim já ficava com medo. Nada prestava. Eu procurava problema em tudo.
-- Por que a senhora era assim?
-- Foi o que eu aprendi. Aquilo era natural para mim.
-- Por que a senhora mudou? Como as coisas aconteceram?
-- Ouvindo o senhor pregar sobre a graça, notei que eu podia ser diferente. Comecei a ficar incomodada com o meu jeito natural de ser. Decidi que eu ia mudar. Decidi que as coisas iam ser diferentes em casa. Eu seria menos exigente com meus filhos, menos dura com meu marido, menos amarga com os meus pais, menos crítica com meus amigos, menos severa comigo mesma. Pedi a Deus para me ajudar. Deu certo. Eu sou outra pessoa.
-- Demorou muito?
-- Foi um processo. À medida que fui vendo os benefícios da mudança, ela foi acontecendo. Posso dizer que sou outra pessoa. Eu mudei tanto que as pessoas passaram a se aproximar. Algumas que me evitavam se achegaram. Em casa, então, nossos relacionamentos estão uma maravilha. Eu sou muito feliz agora. Nós somos mais felizes agora. Ser doce é muito melhor do que ser amarga.

(Israel Belo de Azevedo)

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.
Visite minha página no Facebook: Raquel Roque. E conheça meus blogs:

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

APRENDA COM AS FORMIGAS


Semanas atrás, seguia minha rotina de dar aula de inglês e parti para a casa de uma aluna. Ao chegar, ela pediu ajuda com um projeto escolar sobre formigas que o seu filho estava fazendo. Seu filho estuda em escola canadense onde o ensino é todo em inglês. Para ajudá-lo, tive que estudar sobre a vida e comportamento das formigas. Alguns fatos me chamaram a atenção...
Formigas crescem de acordo com a alimentação que recebem quando estão sendo geradas. As formigas adultas alimentam as que estão em formação; as formiguinhas ao nascerem recebem a tarefa no formigueiro de acordo com a alimentação que receberam.
A formiga que recebeu pouco alimento será uma "operária", fará trabalho comum como a maioria. Aquela que for melhor nutrida, portanto mais forte, será uma formiga "Soldado", protegerá o formigueiro, será mais importante, uma guerreira, mais poderosa. A que foi melhor alimentada terá chance de crescer a tal ponto tornar-se a "Rainha", a Líder de todas.
Em nossa vida e chamado podemos seguir este mesmo princípio. Receberemos tarefa e posição de acordo com a qualidade, quantidade, e frequência da nossa alimentação.
Quer ser mais do que um operário? Quer crescer além das pessoas comum? Quer ter maior responsabilidade? Alimente-se mais e melhor...
Quer ser um líder? Seja bem nutrido! Alimente sua mente, pensamentos, coração, espírito, alma e corpo com mais frequência e com os nutrientes saudáveis e melhores... Busque mais a Deus. Leia a Palavra de Deus diariamente. Tenha um relacionamento diário com o Espírito Santo. Beba da água da vida e coma do pão da vida todos os dias.
Sem a formiga Rainha (líder), a colônia morre em alguns meses. Toda a sua família e igreja dependem da forma como você se alimenta.

"Onde não há revelação divina (Visão, Liderança), o povo se desvia;
mas como é feliz quem obedece à lei!" Provérbios 29.18

(Extraído da página do pastor Silmar Coelho.)

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça também...
www.bonnevievie.blogspot.com.br
E a minha página de poesias "Bem Dito"

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

VOCÊ AMA AS DÁDIVAS OU O DOADOR?


 

Há uma mensagem no Livro “Mananciais no Deserto” que consola meu coração, e renova minhas forças e confiança no Senhor. Fala sobre uma bonita história do sonho que uma senhora crente teve a respeito e três pessoas que oravam...
“Enquanto estavam de joelhos, o Mestre chegou-se a elas. Ao aproximar-se da primeira, inclinou-se para ela, e sorrindo com amor, falou-lhe com voz suave. Deixando-a, dirigiu-se à segunda, mas só pôs a mão sobre a sua cabeça curvada e deu-lhe um olhar de aprovação. Pela terceira, Ele passou quase abruptamente, sem se deter para uma palavra ou olhar.
“A mulher, em seu sonho, pensou consigo: ‘Quanto Ele deve amar a primeira! À segunda Ele deu Sua aprovação, mas nenhuma das demonstrações de amor que deu à primeira; e a terceira deve tê-lo entristecido muito, pois não lhe deu nenhuma palavra e nem sequer um olhar. O que será que ela fez e por que Ele fez tanta diferença entre elas?’
“Enquanto ela procurava interpretar a atitude de seu Senhor, Ele mesmo aproximou-se dela, no sonho, e disse: ‘Ó mulher, quão erradamente me interpretaste. A primeira mulher de joelhos precisava de toda minha ternura e cuidado para conservá-la em Meu caminho.  Precisa sentir o Meu amor, meu cuidado e auxílio a cada momento do dia. Sem isto, iria falhar e cairia. A segunda já tem uma fé mais forte e um amor mais profundo e posso esperar dela que confie em Mim sejam quais forem as circunstâncias e o que quer que os outros façam. A terceira, que Eu parecia nem notar e quase negligenciar, tem fé e amor da mais alta qualidade, e Eu a estou treinando, através de processos enérgicos e drásticos, para o mais alto e santo serviço. Ela Me conhece tão de perto e confia em Mim tão inteiramente, que não depende de palavras, olhares ou qualquer demonstração sensível da Minha aprovação. Não desmaia nem desanima diante de nenhuma circunstância que Eu a faça atravessar;  ela confia em Mim, mesmo quando o sentimento, a razão e os mais fortes instintos do coração natural se rebelariam – porque sabe que estou operando nela para a eternidade, e que o que Eu faço, conquanto não o saiba explicar agora, compreendê-lo-á depois. Eu me calo em Meu amor porque amo além do poder de expressão das palavras e do poder do entendimento do coração humano, e também por causa de vós, para que possais aprender a me amar e confiar em Mim correspondendo espontaneamente ao meu amor, e com o amor dado pelo Espírito, sem o estímulo de nenhuma coisa exterior para fazê-lo brotar.’
“Ele fará maravilhas, se aprendermos o mistério do Seu silêncio, e se O louvarmos por todas as vezes em que Ele tira as Suas dádivas a fim de que conheçamos melhor o Doador e O amemos mais.”

Pense nisso!

(Extraído de “Mananciais no Deserto, pg. 45 e 46)

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos nas redes sociais.
Conheça também...
www.bonnevievie.blogspot.com.br
E a minha página de poesias "Bem Dito"

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

DAR A VIDA PELOS IRMÃOS


“Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a Sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” I João 3.16

O ministério do apóstolo João em sua maturidade nos conduz a praticar as palavras do apóstolo Paulo. Ambos se complementam, como toda a Bíblia. Enquanto Paulo ensina que o amor é o caminho sobremodo excelente, João nos orienta a andar em amor, como no versículo supra citado.
De maneira prática, que significa hoje “dar a vida pelos irmãos”? Certamente não se trata de ser martirizado, como foram os primeiros cristãos, que, diante das perseguições, permaneceram fiéis ao Senhor até a morte física. Infelizmente, em alguns lugares do mundo ainda há cristãos martirizados, mas não em nossa nação. Glória a Deus! Mas isso não exclui nossos desafios como cristãos. Nos dias atuais, encontramos desafios menores, mas que ainda precisam ser superados, como o comodismo. Por exemplo, dar a vida pelos irmãos pode significar, na prática, dar nosso tempo. Assim, se sentimos a ausência de determinado irmão ou irmã nas reuniões da igreja, podemos dispor um tempo para fazer-lhe uma visita ou dar-lhe um telefonema. Pode parecer simples dedicar um tempo para orar com quem se encontra enfraquecido, consolar quem está desanimado, visitar um acamado, ajudar com alimentos um desempregado, cuidar de um necessitado em situação de rua, etc. Mas isso é, na prática, dar a vida pelos irmãos. Existem inúmeras maneiras de por em prática uma fé viva e eficaz, pois "... a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma." (Tg. 2.17).
Apascentar os cordeiros e as ovelhas de Deus requer nossa disposição para amá-los e alimentá-los. Isso somente será feito mediante o fluir da vida de Deus por nosso intermédio. E esse fluir, sem exceção, exige nossa saída do comodismo. O conforto do lar, a acomodação da rotina e a reserva de tempo para os próprios interesses: tudo isso é deixado de lado, ao menos por um pouco, quando nos dispomos a dar a vida pelos irmãos.
Jesus disse a Pedro: “Tu me amas? Então, apascenta os meus cordeirinhos!" Hoje, Ele nos faz a mesma pergunta. Na proposta de Jesus, como Paulo e Pedro ensinaram, amá-LO significa por em prática o Seu amor, direcionando-o aos irmãos.
Peça ao Senhor que lhe dê este estilo de vida. Livre-se do comodismo e de tudo o que lhe impede de obedecê-LO e servi-LO em amor, e doe sua vida aos seus irmãos.

Pense nisso!

Visite minha página no Facebook: Raquel Roque. E conheça meus blogs:
www.bonnevievie.blogspot.com.br