Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Justificação X Santificação

Resultado de imagem para Santificação e justificação
Santidade. Você gosta dessa palavra? Ou ela faz você se contorcer? Ouvimos muito sobre vida, livros, música, conferências, ministérios e igrejas centrados no Evangelho. Mas com que frequência ouvimos a respeito de “obediência” centrada no evangelho? Poucas igrejas pregam sobre santidade hoje em dia, em detrimento da pregação não verbal do Evangelho, isto é, pregar com o testemunho de vida.
Existe entre os evangélicos de hoje um “vão de entusiasmo” entre a paixão pelo evangelho e a paixão pela obediência e pela santidade. Essa brecha em nossa santidade sugere que realmente não nos importamos muito com isso. Precisamos mudar esse quadro rápida e radicalmente!
Devemos nos lembrar que santidade é parte de nossa missão. Cristo nos chama a fazer discípulos (Mt. 28.19), e ajudar as pessoas a obedecer a Jesus é um aspecto importante da Grande Comissão tanto quanto o buscar santidade (Mt. 28.20).
A busca por santidade é realmente uma busca por Cristo. Não estamos simplesmente tentando ser melhores. Estamos trabalhando — conforme Deus trabalha em nós — para sermos mais parecidos com Cristo. Através do evangelismo e da vida santificada estamos tornando Cristo conhecido. A santificação pessoal é a única forma de unir o que você é e faz com o que você prega.
Do outro lado da mesma moeda, encontramos muitas igrejas do século XXI que têm sido tragadas pelo moralismo e pela religião da obediência à lei, o chamado “legalismo”. 
Quando lutamos contra isso, podemos temer tanto o erro que vemos claramente, que ficamos cegos para com outros erros. A chave é ensinar sobre a dupla graça: justificação e santificação. Ambas são presentes de Deus.
Deve ficar claro que a busca da santidade não é uma busca por justificação ou aceitação eterna de Deus. A exigência de santidade não é para mérito, mas para evidência. Devemos ter alguma graça saindo de nossas vidas para mostrar que a graça entrou. Nossas boas obras não contribuem nem uma gota com nossa absolvição ou salvação.
Uma vez que a justificação era impossível aos homens, Jesus pagou tudo na cruz. Devemos apenas nos apropriar deste presente pela fé. O mérito não é nosso, mas de Cristo.
Já a busca da santificação é a parte que nos cabe. É nossa responsabilidade diante de Deus e do mundo, visto que “...estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas,...” (Hb. 12.1a). Por isso é que a Bíblia nos exorta a deixarmos “...todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia,...” (Hb. 12.1b). Isso é busca de santidade.
Em última análise, sem santidade, mesmo justificados por Jesus, não podemos nos aproximar e servir a um Deus santo por natureza. Se quisermos vê-LO, cabe a nós fazermos o que Ele mesmo nos revela na Sua Palavra.
“Segui ...a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor,...” (Hb. 12.14)

Pense nisso!

Visite minha página no Facebook: Raquel Roque. E conheça meus blogs:
www.bonnevievie.blogspot.com.br