Obrigada.

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

APRENDEU A OBEDECER POR MEIO DAQUILO QUE SOFREU

Resultado de imagem para jesus ora
“Durante os seus dias na terra, Jesus ofereceu orações e suplicas, em voz alta e com lágrimas, àquele que O podia salvar da morte, sendo ouvido por causa da Sua reverente submissão. Embora sendo Filho, Ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu; e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte de eterna salvação para todos que lhe obedecem,...” Hebreus 5.7-9.
Existem tantas verdades neste texto que mereciam um livro para explicá-las exaustivamente. Mas, ousadamente, atrevo-me a destacar algumas para nossa edificação, numa observação textual seguindo a ordem em que aparecem no texto.

1ª) “Durante os seus dias na terra, Jesus ofereceu orações e suplicas, em voz alta e com lágrimas,...” – Isso me mostra que antes, quando ainda habitava no céu, Jesus não precisava orar, clamar ou chorar. Ele era Deus junto com o Pai e o Espírito Santo. Ora, ninguém ora a si mesmo. Jesus orava enquanto esteve no mundo como homem, e suplicava a intervenção de Deus, o Senhor. Se Jesus precisava orar, nós ainda mais! É claro que Ele mantinha um contato constante com o Pai, e vemos isso nos relatos dos Evangelhos. Mas também havia horas de clamor, lágrimas e suplicas. Havia orações mais rápidas, ou até em pensamentos, mas havia também orações em voz alta.

2ª) “àquele que O podia salvar da morte,...” - A oração era dirigida à pessoa certa. Às vezes, recorremos a pessoas e coisas que não podem fazer muito por nós, porém, em situações de menor monta, é possível que nos ajudem sim, como por exemplo: um médico por nos salvar de uma doença, um dinheiro pode nos salvar de uma dívida, etc. Mas, há situações em que só Deus pode realmente nos salvar. No caso específico de Jesus, Ele estava à beira de morrer na cruz, e pediu a Deus que O livrasse.
Isso também me ensina que podemos pedir que Deus nos livre até mesmo quando sabemos que aquele é o nosso destino e missão. Isso não é pecado. Pecado é querer que a nossa vontade suprima a Vontade do Pai.

3ª) “sendo ouvido por causa da Sua reverente submissão” – Foi a reverente submissão a vontade de Deus que O moveu a ouvir a oração de Jesus. Deve ser por isso que o próprio Jesus nos ensinou a orar desse jeito: “Seja feita a Tua vontade”. Qualquer oração que se digne ser ouvida por Deus precisa destes dois elementos indispensáveis: reverência e submissão. Sem eles, é quase impossível que Deus a ouça e a responda.

4ª)  “Embora sendo Filho, Ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu; e, uma vez aperfeiçoado,...” – Segundo a Bíblia, o sofrimento nos aperfeiçoa, apara nossas arestas, nos completa, nos amadurece, mas a obra mais espetacular do sofrimento é que ele nos ensina a obedecer. E como precisamos disso!  Mesmo sendo o próprio Filho de Deus, Jesus também teve que aprender a obedecer, e foi treinado pelo sofrimento. Não poderia ser diferente conosco, não acha?! Como eu costumo dizer: "Se a Bíblia pudesse ser resumida em uma palavra, seria Obediência". 

 5ª) “e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte de eterna salvação para todos que lhe obedecem,...”  - Aqui temos muitas lições. Jesus só se tornou a fonte eterna de salvação depois de aperfeiçoado, isto é, Ele não poderia cumprir plenamente a Sua missão de tornar-se o Salvador do mundo sem que tivesse aprendido a obedecer e fosse, por isso mesmo, aperfeiçoado. Se Ele precisou disso, que dirá nós! E, ainda que a missão individual de cada um de nós seja infinitamente inferior à Dele, também precisamos sofrer para aprender a obedecer e sermos aperfeiçoados, e então a cumprirmos. Igualmente, também a salvação  que recebemos Dele nos vem através de obediência. Sendo assim, quanto mais cedo nos tornarmos obedientes, mais cedo seremos salvos, aperfeiçoados e completos para realizarmos o Seu chamado.
Outra coisa interessante, senão a mais importante, é que Jesus pediu que Deus o livrasse da morte de crus, e como o mundo todo sabe, não foi isso que Deus fez. Ao contrário, Deus o levou até ela e nisto cumpriu seu plano e propósito originais para a vinda de Jesus ao mundo. Mas o texto diz que Ele foi ouvido por Sua reverente submissão. Vemos aqui que Deus ouviu sua oração, mas Sua resposta foi Não. Só existem três resposta que Deus dá as nossas orações: Sim, Não ou Espere. E devemos estar preparados para receber qualquer uma delas ao orar. Por isso sempre oramos para que a vontade de Deus prevaleça. Ora, a vontade de Deus para Jesus era excelente, embora não fosse assim que Ele pensava quando pediu: “Passa de mim este cálice!” Nem sempre a vontade do Pai é boa aos nossos olhos no momento, mas com o passar do tempo, veremos que aquela foi a melhor coisa que Ele poderia nos fazer. Se Jesus não morresse na cruz, ninguém poderia ser salvo por Ele, Ele não ressuscitaria mostrando ao mundo seu extraordinário poder sobre a morte e o pecado, e Ele também não receberia o trono e a glória que Deus lhe havia preparado. Veja quantas coisas maravilhosas perderíamos se Jesus rejeitasse ir à cruz. Mas Ele foi! Aleluia! Assim também na nossa vida, às vezes, precisamos abrir mão do bom e agradável para beber o amargo cálice da vontade de Deus, a qual é sempre boa, perfeita e agradável, como a Bíblia diz. “Nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles”. (II Co. 4.17).

Portanto, que possamos aprender com Jesus e fazer como Ele. Orar ao Pai, submeter-nos à Sua vontade, sermos aperfeiçoados através de obediência e submissão, e recebermos Sua resposta perfeita, sendo ela ou não de acordo com a nossa vontade.
Pense nisso!