Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

quinta-feira, 18 de julho de 2013

A DIFERENÇA ESTÁ NA UNÇÃO


A verdadeira identidade da igreja é sobrenatural. Ela foi fundada pelo próprio Senhor Jesus e fundamentada sobre Ele mesmo, a Rocha – “... e sobre esta Rocha edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.” (Mateus 16.18). Antes de partir, o Senhor transmitiu à igreja o resumo de sua missão – “Ide por todo mundo, pregai o evangelho a toda criatura. [...] E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” (Marcos 16.15-18).
Observe que para que todo trabalho a igreja depende do poder sobrenatural do Espírito Santo. É a unção do Espírito que nos capacita a realizar a Sua obra sobrenatural.

Entenda. Se não tivermos unção, então, não temos nada além do que o mundo tem. A verdadeira obra de Deus precisa ser sobrenatural. Nosso crescimento não vem por causa de nossa boa estrutura e organização. O mundo possui estratégias de marketing, qualidade total, gerenciamento participativo, etc. Não podemos confiar na técnica e na organização. Elas são apenas roupas que vestimos e podemos trocá-la de acordo com a necessidade. Crianças trocam de roupa à medida que crescem. Da mesma forma, igrejas trocam de estratégia à medida que crescem. Se a nossa comunhão for igual à que existe no Rotary ou no Lions, que estamos fazendo de mais? Se nossas pregações não diferem da oratória política e das palestras acadêmicas, que estamos ministrando de mais?
Jesus não veio para revogar, mas para transcender. Aqui reside a grande diferença da obra de Deus na terra: a igreja precisa transcender às práticas do mundo.
Transcender não é apenas fazer melhor; é fazer sobrenaturalmente. Não podemos atrair o mundo com nossas canções, pois o mundo têm músicas melhores e mais bem elaboradas. Também não podemos atrair o mundo com teatro, dramas e encenações, pois o mundo faz isso muito melhor do que nós. Nem podemos atraí-lo com pequenos grupos, pois isso eles também possuem. Entretanto, existe algo que eles não têm e não podem produzir – UNÇÃO.
Sem o poder de Deus, entretemos os santos e nos iludimos com atividades. O ativismo rouba nosso tempo, destrói nossa saúde, esgota nossa energia e não produz os resultados que Deus espera da igreja.
A igreja não é terrena; sua origem é espiritual e, portanto, sobrenatural, assim como seu poder e sua própria vida. Qualquer coisa que não for feita sobre esta base, não traduzirá a realidade da igreja.
Precisamos da unção do Senhor, pois ela subverte nossa ordem e nossos conceitos. Ela transcende ao padrão do nosso trabalho. Nossa comunhão não pode ser comum, natural, mas do tipo com o qual Deus subsiste. Nossa pregação não pode ser uma palestra inteligente, recheada de técnicas de marketing pessoal, mas sim a própria voz de Deus. Nossa autoridade não pode se prender aos nossos títulos acadêmicos, mas à unção do Espírito Santo. Não somos frutíferos porque temos técnicas, mas por causa da unção. Não importa o quanto nos esforcemos, somente a unção nos fará transcender.
Se nossa ministração nas células reproduzir apenas técnicas e dinâmicas, perderemos nosso precioso tempo. Não somos uma empresa. Somos a igreja do Senhor Jesus. Devemos aprender e usar as técnicas e metodologias, mas, antes de tudo, precisamos buscar a unção do Espírito Santo. Sem ela não passamos de meros imitadores do mundo.

Pense nisso!

Prª Raquel Roque.