Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

O VALOR DA COMUNHÃO

Resultado de imagem para Comunhão

“Retenhamos inabalável a confissão da nossa esperança, porque fiel é aquele que fez a promessa; e consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros em amor...”
Hebreus 10.23-25.

Um cristão comparecia assiduamente às reuniões da sua igreja, e um dia, sem comunicar à ninguém, deixou de participar de suas atividades. Depois de algumas semanas, irmão da mesma igreja sentiu sua falta e decidiu visitá-lo. 
Era uma noite muito fria! Aquele irmão o encontrou em sua casa, sozinho, sentado diante da lareira, onde o fogo estava brilhante e acolhedor.
Adivinhando o motivo da visita de seu amigo, deu-lhe as boas vindas, lhe ofereceu uma cadeira grande em frente à lareira e ambos assentaram-se quietos, admirando a dança das chamas em volta dos troncos de lenha que queimavam.
Depois de alguns minutos, o irmão que o visitava foi até a lareira e cuidadosamente escolheu dentre as brasas a mais incandescente de todas, empurrando-a para fora do fogo.
Sentando-se novamente, permaneceu silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e também quieto.
Dentro de pouco tempo, a chama da brasa solitária diminuiu, até que seu fogo se apagou  por completo. O que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um frio, morto e preto pedaço de carvão, recoberto de uma camada de cinza espessa.
Nenhuma palavra tinha sido pronunciada desde a saudação inicial entre os dois amigos!
Antes de preparar-se para ir embora, o amigo, movimentou novamente o pedaço de carvão já apagado, frio e inútil, colocando-o novamente no meio do fogo. Quase que imediatamente transformou-se numa nova chama, alimentada pela luz e o calor das labaredas dos outros carvões em brasa e ao redor dele.
Quando o Amigo se aproximou da porta para ir-se embora, seu anfitrião lhe disse: “Obrigado pela sua visita e pelo belíssimo sermão! Voltarei à comunhão dos irmãos que sempre me faz muito bem!”
Vamos refletir...
Os membros de uma igreja fazem parte da "CHAMA" da comunhão, mas quando se afastam do grupo, perdem todo seu brilho e calor.
Cada irmão é responsável por manter acesas as chamas da comunhão, tanto para si mesmo como para cada um dos outros membros. Cada um é responsável por promover a união entre todos, para que o fogo seja sempre realmente forte e duradouro.
A Bíblia diz:

“Portanto, se há alguma exortação em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão do Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões, completai a minha alegria, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa;... com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo; não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros. (Filipenses 2:1,2)

“Tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados; sendo hospitaleiros uns para com os outros, sem murmuração; servindo uns aos outros conforme o dom que cada um recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (I Pedro 4:8)

A igreja mantém a chama da comunhão acesa quando os membros valorizam-se uns aos outros e mantêm-se unidos em amor. Como na lareira, cada madeira que constitui o feixe não é igual e nem queima da mesma forma, porém o conjunto emite luz intensa e aquece muito mais a todos e ao ambiente em que vivem.
Nenhum de nós é melhor que todos nós juntos!!!

Pense nisso!
E deixe seu comentário!


Nenhum comentário:

Postar um comentário