Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

terça-feira, 15 de março de 2016

O RELIGIOSO



O religioso se assemelha aos escribas e fariseus, tão confrontados por Jesus. Ele os chamou de sepulcros caiados, porque por fora parecem belos, mas por dentro são cheios de imundícia (Mt. 23.27). As características do religioso estão em Mateus 23.1-39 (Por favor, leia!)
O religioso parece crente, mas não é. É dissimulado, falso e perigoso. Não é de confiança. Tem linguagem piedosa e postura aparentemente mansa, mas, na prática, está longe disso. “...tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses.” (II Tm 3.5).
O religioso não é sincero. Até gosta de ir à igreja, contribuir, ajudar, mas no íntimo, em casa, é bem diferente. Geralmente é jeitoso, comunicativo, utilizando um linguajar com expressões bíblicas, etc., o que impressiona os incautos, mas não os maduros na fé. Não está interessado no bem-estar das pessoas, mas em falar delas e, muitas vezes, de forma maldosa. É implacável no seu julgamento, especialista em listar defeitos do próximo, mas tem dificuldade em ver os seus.
O religioso cria um ambiente de insegurança e trabalha para conquistar adeptos. Tem poder de persuasão. 
Em Mateus 23, Jesus revela alguns de seus traços: exige dos outros o que ele mesmo não faz; pratica boas obras para ser visto; gosta de ser cumprimentado; usa sempre juramento; esquece da justiça, misericórdia e fidelidade; valoriza a aparência e não o coração; revela personalidade que não é verdadeira; tem a natureza da serpente; é violento. Como temos gente assim em nossas igrejas!
O religioso não trabalha, dá trabalho. É cansativo e estressante conviver com ele. Ele é ácido, crítico, pesado, lento, escorregadio e fala daquilo que não vive. É murmurador e medroso. Tem baixa autoestima e sérios de problemas de personalidade. Gosta de se aproveitar dos irmãos. Faz corpo mole para o trabalho do Senhor, e quando faz alguma coisa, é com mau humor e reclamação. Tem muita dificuldade em servir, pois nunca está comprometido com o Reino.
O religioso é implicante e intransigente. O seu prazer é criar incerteza, insegurança e discórdia no meio do povo de Deus. Como os 10 espias de Israel enviados à terra prometida, seu relatório põe medo e pavor no povo (Nm. 13.25-33). Faz um estrago!
É deprimente e perigoso conviver com o religioso, e devemos tratá-lo de três formas: amor compassivo, exortação sábia e disciplina firme. E, se isso não der certo, afaste-se antes que ele azede sua vida. A má notícia é que sempre o teremos entre nós até a volta de Jesus.
Desejo sinceramente que você olhe para si mesmo e perceba se tem ou não estas características. Tendo todas ou apenas uma, é hora de buscar uma transformação radical através de Cristo e a Sua Palavra. Mas se percebê-las em outros, não tente mudá-los, apenas ore, porque o religioso “está sempre certo”. Só Deus poderá convencê-lo!

 


Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe. Passe esta bela reflexão a todos que você gosta.
Conheça meus blogs e minhas páginas no Facebook. Endereços:
LEIA A BÍBLIA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário