Obrigada.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SER DOCE É MELHOR DO QUE SER AMARGO



Depois do culto, em que um pastor convidou seus ouvintes à doçura, uma senhora narrou a sua história:
-- Eu era exatamente como o senhor disse: dura, brava, ressentida e crítica, tudo em excesso. O que eu tinha de dizer, eu dizia na hora, sem medir palavras, sem pensar nas consequências. Quem olhava para mim já ficava com medo. Nada prestava. Eu procurava problema em tudo.
-- Por que a senhora era assim?
-- Foi o que eu aprendi. Aquilo era natural para mim.
-- Por que a senhora mudou? Como as coisas aconteceram?
-- Ouvindo o senhor pregar sobre a graça, notei que eu podia ser diferente. Comecei a ficar incomodada com o meu jeito natural de ser. Decidi que eu ia mudar. Decidi que as coisas iam ser diferentes em casa. Eu seria menos exigente com meus filhos, menos dura com meu marido, menos amarga com os meus pais, menos crítica com meus amigos, menos severa comigo mesma. Pedi a Deus para me ajudar. Deu certo. Eu sou outra pessoa.
-- Demorou muito?
-- Foi um processo. À medida que fui vendo os benefícios da mudança, ela foi acontecendo. Posso dizer que sou outra pessoa. Eu mudei tanto que as pessoas passaram a se aproximar. Algumas que me evitavam se achegaram. Em casa, então, nossos relacionamentos estão uma maravilha. Eu sou muito feliz agora. Nós somos mais felizes agora. Ser doce é muito melhor do que ser amarga.

(Israel Belo de Azevedo)

Pense nisso!

Se gostou, deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.
Visite minha página no Facebook: Raquel Roque. E conheça meus blogs:

Nenhum comentário:

Postar um comentário