Obrigada.

Bem vindo(a)! Que você seja edificado(a) com as mensagens! Volte sempre!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Verdadeiro Avivamento

Avivamento sem práticas devocionais, tais como leitura e aprofundamento bíblico, oração e adoração a Deus, não existe. Torna-se evento, movimento, porém jamais será um avivamento.
Avivamento, pela simples origem da palavra, envolve “vida”, e tem muita coisa com movimento que não tem vida. Um exemplo clássico é a Roda Gigante – roda, roda e não sai do lugar. Crente que não é “avivado” no sentido de receber vida se parece com a Roda Gigante – tem movimento, mas não tem vida. Ele pode parecer 'vivo', ou 'avivado', cheio de luzes, músicas, sons e efeitos, mas está sempre no mesmo lugar; não cresce, não evolui, não anda e não sai lugar. Isso é um perigo para a Igreja, pois crentes supostamente avivados são irracionais, frágeis, volúveis e intempestivos. São profundamente sensíveis, pois são movidos pelas emoções, e se irritam facilmente, se entristecem por qualquer problema e, como não possuem raízes profundas na Palavra de Deus, também facilmente se afastam da Igreja e de Deus. Pensando assim, podemos concluir que o falso avivamentos podem até mesmo ser uma estratégia maligna para manter os crentes entretidos com tanta fantasia que se esquecem do verdadeiro fundamento que é Cristo.
Os supostos “avivamentos” que se vê por aí são cultos da emoção e não da razão, como ensina Paulo em Romanos 12.1,2, aquilo que ele sabiamente chamou de "vosso culto racional". Passado o impacto inicial, não têm como se sustentar por justa falta de “fundamento”. A emoção passa, a razão permanece. O fundamento teórico é a Bíblia e o fundamento prático é o relacionamento com Deus, com o próximo e consigo mesmo, numa busca perseverante da verdade, da santificação e do amor. Isso sim é avivamento.”
Pense nisso...

Boa proposta pra começarmos o ano, não é ?!!!
Tenham  todos uma semana AVIVADA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário